Agostinho

Aurélio Agostinho nasceu em 354 na cidade de Tagasta na Numídia (atualmente Argélia), filho de Patrício (pagão) e de uma cristã fervorosa – Mônica – tendo aderido aos ensinamentos maniqueístas, após uma série de excessos ocorridos na juventude, acabou por ser converter ao cristianismo, sendo batizado em 387 pelo Bispo Ambrósio, se tornando um inimigo mortal do pensamento maniqueísta, e se tornando posteriormente, por seu legado, um dos principais pensadores da Igreja Católica. Morreu aos 75 anos em Hipona, quando a cidade foi sitiada e saqueada pelos vândalos.

Para entender a sua formação espiritual e a evolução de seu pensamento e consequentemente de sua personalidade, Reale & Antiseri listam alguns fatores fundamentais em sua vida:

1. A profunda influência de sua mãe Mônica em sua vida e formação. Sua fé forte e determinada sempre esteve à sombra do caráter de Agostinho
2. Seu estudo de Cícero, através da obra Ortensio, que o levou a busca pela filosoifa.
3. Sua adesão ao maniqueísmo aos 19 anos, marcado pelo racionalismo, o materialismo e a dualidade das forças do bem e do mal.
4. Seu flerte com a escola cética, passando a duvidar e questionar tudo.
5. Seu encontro com o Bispo Ambrósio em Milão, aprendendo a ler a Bíblia, tendo acesso aos livros do neoplatônicos e estudando de forma aprofundada os textos de São Paulo.
6. Em sua última fase, passou a debater com os heréticos, reforçando sua fé inabalável em Cristo.

São suas principais obras:

a. Contra os Acadêmicos; A vida feliz; A ordem; Os solilóquios; A imortalidade da alma; O mestre; e A música – todos caracterizam-se por seu caráter filosófico
b. A trindade – obra prima dogmática – filosófica – teológica
c. A cidade de Deus – sua obra prima apologética (tese argumentativa de que a fé pode ser comprovada pela razão)
d. A Doutrina Cristã; Comentários literais ao Gênesis; Comentários a João; e Comentários aos Salmos – escritos exegéticos (que servem para explicar e compreender)
e. Sobre os costumes da Igreja Católica e os costumes dos Maniqueus; Sobre o livre arbítrio; A verdadeira religião; Sobre o Gênesis contra os Maniqueus – todas obras de ataque ao pensamento maniqueísta
f. Contra a Epístola de Parmeniano; Sobre o batismo contra os donatistas; Contra Gaudêncio, bispo dos donatistas – escritos de crítica e ataque aos donatistas (seita religiosa cristã, que posteriormente foi considerada cismática e herege)
g. O espírito e a letra; Sobre a gesta de Pelágio; A graça de Cristo e o pecado original – escritos de critica e ataque aos Pelagianos (conceito teológico que negava o pecado original e a graça divina para a salvação da alma)
h. Confissões – obra de estilo literário que narra sua vida; Retratações – obra no mesmo estilo onde reexamina e retifica alguma de suas teses

Dentro da extensão e profundidade de sua obra podemos resumir seus principais fundamentos:

I – os humanos são seres racionais.
II – Para que sejam racionais, devem ter o Livre Arbítrio
III – Dessa forma, cabem a eles a escolha entre o bem e o mal
IV – suas ações, dada essa escolha, podem ser boas ou más
V – Deus não é a origem do mal. O mal é o ato racional do homem quando do seu afastamento de Deus.

Bibliografia de referência:
STORIG, Hans Joachim – História Geral da Filosofia – Editora Vozes – 2008
REALE, Giovanni – ANTISERI, Dario – História da Filosofia – Volume 1 – Editora Paulus – 1990