Platão

Seu verdadeiro nome era Aristócles, sendo Platão seu apelido provavelmente advindo do seu vigor físico, ou da extensão de sua testa (Platos em grego). Nascido entre 428/427 A.C. em Atenas. A sua aptidão pessoal para o mundo político, deve ter vindo dos alegados parentescos de seus pais – descendente do Rei Codros do lado de pai, e de Sólon por parte de mãe.

Foi discípulo de Crátilo (seguidor de Heráclito) e posteriormente de Sócrates. Seus parentes Cármides e Crítias tiveram importância na política durante o governo oligárquico, e foi nesse momento que ele começou a se decepcionar com os métodos utilizados na política, tendo seu apogeu quando do processo e posterior condenação do seu mestre Sócrates.

Viajou para o Egito, para a Itália, e quando do seu retorno à Atenas, fundou a Academia, situada em um parque dedicado ao herói Academos. No final de sua vida, entre os anos 360 A.C. e 347 A.C. (ano de sua morte), esteve à frente da direção de sua Academia.

Conforme o relato por Giovanni Reale e Dario Antiseri em sua obra “História da Filosofia”, seus trinta e seis trabalhos que nos chegaram ao nosso conhecimento foram subdivididos nas nove tetralogias seguintes:
I : Eutífron, Apologia de Sócrates, Críton, Fédon
II : Crátilo, Teeteto, O Sofista, A Política
III : Parmênides, Filebo, O Banquete, Fedro
IV : Alcebíades I, Alcebíades II, Hiparco, Os amantes
V : Teages, Cármides, Laqués, Lísis
VI : Eutidemo, Protágoras, Górgias, Menon
VII : Hípias menor, Hípias maior, Ion, Menexeno
VIII : Clítofonte, A República, Timeu, Crítias
IX : Minos, As Leis, Epinome, Cartas

Quase todas as suas obras foram concebidas em forma de diálogo, sendo os seguintes temas abordados em suas 15 principais obras:
1 – Apologia de Sócrates: basicamente o discurso de defesa de Sócrates no processo movido contra ele.
2 – Critón: trata sobre o respeito às Leis.
3 – Protágoras: discussão com os Sofistas, sobre a virtude, e em especial sobre sua unidade e possibilidade de ser ensinada.
4 – Górgias: também gira em torno da questão da virtude e sobre a possibilidade ou não de seu ensinamento.
5 – Menon: sobre a natureza do conhecimento como “recordação”. A importância da matemática.
6 – Crátilo: sobre a linguagem.
7 – O Banquete: sobre Eros como força impulsionadora da procura filosófica da beleza e do bem.
8 – Fédon: sobre a imortalidade. Fala sobre o caráter supra sensível e a eternidade da alma, se encontrando nessa obra a formulação da doutrina platônica das idéias.
9 – A República: considerada a mais vasta e rica obra de Platão, abrange todos os campos de seu pensamento, mostrando a seu ver a forma ideal de governo e sociedade.
10 – Fedro: diálogo importante para a doutrina das ideias e para seu pensamento a respeito da “tríplice divisão da alma”.
11 – Teeteto: estudo epistemológico sobre a natureza da ciência
12 – Timeu: sobre a origem de todos os seres da natureza, dos corpos celestes aos seres vivos da terra. Trata-se da sua filosofia da natureza.
13 – Crítias: texto inconcluso, contém a descrição da lendária ilha de Atlântida.
14 – Político: contém seus pensamentos políticos durante sua idade avançada.
15 – Leis: sua última grande obra em sua velhice, contém as bases morais do estado e da educação de seus cidadãos, tema este preferencial de sua vida.

Bibliografia de referência:
STORIG, Hans Joachim – História Geral da Filosofia – Editora Vozes – 2008
REALE, Giovanni – ANTISERI, Dario – História da Filosofia – Volume 1 – Editora Paulus – 1990