Sartre

Jean Paul Sartre, (1905-1980) nascido em Paris, perde seu pai aos dois anos de idade, estudou na Escola Normal Superior e ensinou filosofia nos Liceus de Le Havre e Paris. Convocado pelo exército, acabou ficando prisioneiro e transferido para Alemanha. Em seu retorno à França, fundou um grupo de resistência intelectual chamado “Socialismo e Liberdade”. Ativista político, possuidor de um grande talento literário, produzindo novelas e peças teatrais, teve como sua companheira a escritora Simone de Beauvoir.

Principal representante do existencialismo no pós guerra, para ele o ser humano está só num mundo sem Deus, portanto está condenado à liberdade.

Ana Vasconcelos diz: “Para Sartre, o ser humano no mundo está jogado no mundo, sem Deus e sem a desculpa de nenhum determinismo, estando, então, condenado a ser livre. Ou seja, ao escolher a si próprio, o homem escolhe também todos os homens. É comum no existencialismo dizer que a “a existência precede e governa a essência”. Assim, cada para si tem a condição humana de ser livre, ou seja, de fazer o que quiser, sem ter necessariamente um destino predestinado. “

Dentre suas principais obras, citamos:

A Transcendência do Ego
A Náusea
O Ser e o Nada
O Existencialismo é um Humanismo
Crítica da razão dialética
Bibliografia de referência:
REALE, Giovanni – ANTISERI, Dario – História da Filosofia – Volume 3 – Editora Paulus – 1990
O livro da Filosofia – Editora Globo – 2011
VASCONCELOS, Ana – Manual Compacto de Filosofia – Editora Rideel - 2011